• Nélia Duarte

Havia algum tempo que girava em mim uma vontade de fazer animação 2D. Sem contudo me surgir tema, um esboço, uma pequena ideia que fosse. Fiz a entrada para a homepage, mas era pouco.

Aprendi a importância de um storyboard executado em desenho e/ou texto, uma narrativa visual a que se possa recorrer sempre para rectificarmos e seguirmos orientados. Eu sempre tive alguma dificuldade nesta estrutura porque me habituei a ir andando e vendo como vai correndo, ajustar-me às circunstâncias e às dificuldades, contornando aqui, insistindo ali, descobrindo acolá; sentir o entusiasmo que me permite dedicar-me ao que faço passa um bocado pelo resultado que vou experimentando; pela surpresa. E a criação, no meu caso, passa muito por uma coisa levar a outra e essa outra a outra. Portanto o meu storyboard é feito na timeline ou, como é vulgar dizer-se, em cima do joelho.

Foi ao acabar um desenho de uma figura frente a um microfone... [ou melhor, comecei a desenhar uma figura geométrica a que liguei outra e outra, com preenchimento de padrões aleatórios e a ideia de que podia ser um microfone fez-me desenhar uma figura a partir do círculo que passou a ser um olho]... que me surgiu a ideia de arranjar uma BS e animar a figura. E a BS perfeita estava numa cover de Memories por One Voice Children Choir o que acabou por promover o sucesso da animação, não tenho qualquer dúvida. A maior dificuldade foi conseguir algum acerto de movimento com a música ou, pelo menos, desviar a atenção dessa dessincronização, razão pela qual se deu presença ao coro. O que aqui tentei (sem sucesso) foi adaptar a imagem e o movimento à música; com todas as dificuldades, cá está o que começou numa figura geométrica incerta: memories.

Foi já na segunda -4 ESTAÇÕES - que percebi que podia usar várias faixas sonoras ao contrário do que sempre havia pensado ser possível na montagem em PS. E usei-a com efeitos sonoros e um excerto breve da maravilhosa música de Max Richter - November. E foi também com essa estação (Novembro invernoso) que comecei na paisagem onde a árvore domina o espaço.

Neste caso os efeitos sonoros e a BS foram adaptados à imagem e ao movimento, com toda a facilidade que o processo comporta.

Ainda a propósito do título que surge no final, nunca gostei dos 4 concertos do italiano Antonio Vivaldi,'Le quattro stagioni'; o estilo 'barroco' afecta-me negativamente. É demasiado 'vistoso', passe a heresia.

E o futuro? Pois o futuro está garantido num projecto que começou ontem mas precisa de muito trabalho gráfico. O storyboard está alicerçado no ambiente de desenho digital que é onde tudo começa, num ficheiro com o sugestivo nome de ZX não por razão alguma especial mas porque no teclado estão a jeito.

#anime #site #2D #staytune

  • Nélia Duarte

Com tanto remexer nas configurações, percebi que havia um entrave legal que ainda não fora resolvido: aceitação de cookies e política de privacidade. A aceitação de cookies foi activada com toda a facilidade porque já estava preparada a barra de texto e caixa de submissão pela entidade que me guarda a casa. Já a política tinha que ser eu a tratar disso. E tratei. Usando boa parte do que outros já tinham nas suas politicas de privacidade a quem agradeço desde já. A questão maior que coloquei a mim mesma foi: mas e onde, e como, guardo eu dados de alguém? Afinal é simples, são os vossos nomes e e-mails no caso de preencherem o formulário ou de se registarem para comentar no blog. E por falar nisso eu sei que há registos e era suposto no cabeçalho do blog estar lá o vosso icon/foto/letra numa circunferência clicável onde podiam entrar e sair, mas não está, porque eu sou OCD (tiro isto em todos os testes de personalidade que faço na web, lamento) e o cabeçalho do blog obrigava-me a baixar o post e desorientava-me os alinhamentos e a estética. Portanto está oculto. Mas podem na mesma fazer login e/ou registo na caixa de comentários, que eu experimentei e dá. Só não conseguem fazer logout. Mas estão seguros e assegurados. [a foto é mais uma das muitas que encontrei numa pasta de lixo, o desenho é pintado com lápis de cor]

Política de Privacidade


#site

29 visualizações0 comentário
  • Nélia Duarte

Quando Ernest questiona Gilbert sobre quais são as duas supremas e mais altas artes, este responde-lhe: 'a Vida e a Literatura, ou seja, a vida e a expressão perfeita da vida.'

[Ernest e Gilbert – personagens em The artist as critic de Oscar Wilde]

Podia dividir o que pinto entre diálogos e monólogos, independentemente das séries, do meio usado e da qualidade de cada trabalho. Foi isto que pensei numa manhã ao acordar. E com este pensamento matinal resolveu-se uma questão menor, mas presente, sobre que título poderia eu dar a uma exposição que pudesse reunir parte da minha produção pós 'FIGURAS' a exposição anterior. [Já tinha mesmo – e não está ainda fora de questão - equacionado pedir a um amigo – que faz muito bem títulos - a tarefa de me arranjar um título para a expo. ]

E foi com esta simplicidade de razão que me vi impelida a mudar de novo alguns elementos do site. E mal entrei nas configurações percebi que a entrada em caixa dinâmica tinha deixado de ser suportada pela plataforma. Fiz nova entrada com uma animação frame a frame, utilizando a imagem que é uma espécie de logotipo, dei nova arrumação e nome aos itens do menú e, muito importante, reduzi tamanho/peso diminuindo a qualidade das imagens nas várias galerias. Nos ouvidos a voz de Neil Young em Filadelphia canta-me com aquela suavidade do afecto


'Sometimes I think that I know What love's all about'

#site #literatura

43 visualizações0 comentário
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Vimeo Ícone

NÉLIA

DUARTE