Ela pergunta-me «e natureza?» e eu devolvo, com alguma aspereza (mais para me conter do que pelo assunto em si), que a natureza não me motiva. Mas depois, e apesar de não querer desenvolver, contradigo a intenção acrescentando: a natureza é monótona. E pronto, não se diz uma coisa destas sem desenvolver argumento, até porque ela retorquiu, e bem, de imediato que só de flores temos milhentas variedades. 


A natureza é. Essas milhentas variedades e todas as outras que vierem a ser. A natureza está ali à vista de todos para ser observada, fotografada, dia após dia - a nascer, a crescer e a morrer; o sol a aparecer e a se pôr, dia após dia. A natureza é!


Oscar Wilde afirmava (livro Intenções, quatro ensaios sobre a estética) que "a Arte é, na verdade, uma forma de exagero; e a selecção, na qual reside o espírito próprio da arte, não é mais do que um modo mais intenso de multiplicar ênfase".


Não sei se a minha inclinação pela figura humana deriva muito disto, mas eu penso que a pessoa sendo disfarça-se, e é no que é, que eu não vejo, que procuro e acrescento; o meu aliciamento é esse, suponho; as personagens.



desenhos, aprendizagem, corpo humano, nu

  • Nélia Duarte

A manhã toda à espera da encomenda de pastel preto enquanto vou usando outras cores escuras, que ainda tenho, nos auto|retratos feitos pela imagem que um espelho pequeno articulado me devolve e mesmo a que não me devolve, toca a campainha, salta-me a cadela assustada a ladrar, é a encomenda finalmente.


Tenho o giz preto perfeitamente cilíndrico com uma base perfeita e...viro-me para a cor. Por este andar penso que o melhor será, amanhã, voltar ao óleo.






  • Nélia Duarte

Desenho sobre uma mesa, como não tenho sistema de elevação na mesma, obriga-me a estar sempre de pé, inclinada sobre o trabalho. Têm sido horas de afã no desenho, verdadeiramente apaixonada pelo que estou fazendo.


Estou usando o giz ao meu jeito, mais ou menos inclinado, mais ou menos pressão...; o prazer da aprendizagem é imenso e embora tenha ainda pesquisado um vídeo sobre as diferentes técnicas o que é facto é que achei aquilo tão enfadonho que desisti nos primeiros minutos.  Esta é a minha viagem!

Entretanto já percebi que se fizer base forte e depois desenhar obtenho um dramatismo verdadeiramente empolgante. Inspirada em Egon Schiele, (1890-1918) um pintor Maior do expressionismo no meu entender, com um traço duro, sem concessões, autêntico. 

A minha homenagem ao Mestre austríaco.



© Nélia Duarte  

Lagos, Algarve

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Vimeo Ícone

NÉLIA

DUARTE