• Nélia Duarte

valorizar o erro

Valorizar porque não o ignoro, também porque, podendo, não o descarto ou não me liberto dele e, pelo contrário, decido-me a valorizá-lo no sentido da transformação. O erro como ponto de partida para a experimentação e criação. [ Isto se previamente considerarmos que no desenho há erro, ou seja uma transgressão às normas, às regras] Durante muito tempo quando desenhava fazia-o digitalmente (é comodo)e usava a borracha digital sempre que me parecia necessário corrigir um traço. Quando passei a desenhar no papel e a usar tinta a "borracha" passou a ser todo o tipo de meio a que tenho acesso, desde aguarela, acrílica, marcador e, ultimamente, pastel. Posso concluir que o pastel, até agora e para mim, é o melhor meio de valorizar o erro.



9 visualizações0 comentário